in

Assassino planejava chacina em SC há mais de 10 meses; polícia apreendeu computador na casa do jovem

Revelação foi feita pelo próprio jovem assassino durante atendimento em ambulância.

G1

O atentado ocorrido no interior da Escola Pró-Infantil Aquarela, na cidade de Saudades, na manhã da última terça-feira (4), gerou uma forte comoção nacional após cinco pessoas morrerem vítimas de golpes de facão. Entre as vítimas estavam três bebês menores de 2 anos, além de duas funcionárias da unidade.

Publicidade

O cenário de terror só não foi pior, porque o assassino chegou um pouco antes da hora do lanche na escola infantil; e pelo fato das professoras conseguirem trancar as crianças nas cinco salas do local.

Armado com um facão de 80 cm, Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, desferiu golpes de forma impiedosa contra as vítimas, e logo depois tentou tirar a própria vida. Ele foi levado para uma unidade hospitalar de Chapecó, em estado grave, mas já teve quadro revertido para estável e não corre riscos de morrer, conforme informou o último boletim médico.

Publicidade

Atentado planejado

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros de Pinhalzinho (SC), capitão Leonardo Ecco, o jovem planejou o atentado há mais de 10 meses. A informação foi revelada pelo próprio assassino, enquanto ele era socorrido.

Publicidade

Fabiano teria questionado quantas pessoas tinha conseguido matar e contou sobre os planos. “Ele disse para a nossa equipe que estava planejando o ataque há mais de dez meses”, afirmou Leonardo Ecco.

Publicidade

Vulnerabilidade de creche

De acordo com o promotor de Justiça, Douglas Dellazari, ainda será necessário ouvir testemunhas para formalizar essas informações acerca de planejamento. O computador apreendido na casa do jovem será de suma importância nas investigações do inquérito.

Os investigadores acreditam que a escolha pela creche Aquarela para o ataque foi por conta da fragilidade maior do local. “Ele iria atacar, não necessariamente aquela creche, mas considerou que naquele local havia uma situação de maior fragilidade para praticar o crime”, enfatizou Dellazari.

Após o ataque, a Prefeitura de Saudades optou por suspender as aulas por mais sete dias em toda a rede de ensino. Nos próximos dias, estão previstas várias reuniões para discutir o futuro da creche Pró-Infância Aquarela, que pode ter o prédio destinado a outro tipo de utilização, desativando assim a unidade escolar. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade