in

Polícia descobre o que Jairinho fez na madrugada da morte de Henry e detalhes impactam

O parlamentar está preso há pouco menos de um mês numa unidade de Bangu.

UOL

Uma nova informação coletada pela polícia complicou ainda mais a vida de Jario Souza Santos Júnior, médico e vereador acusado pela morte de Henry Borel Medeiros, enteado com quem morava em um apartamento no Cidade Jardim, no rio de Janeiro.

Publicidade

De acordo com as coordenadas de um aplicativo instalado no celular de Jairinho, como é chamado popularmente o médico, ele se movimentou entre 1h41 e 1h52 do dia em que Henry morreu, dando um total de 81 passos em 61 metros percorridos.

As informações mostradas pelo software expõem uma nova contradição no depoimento do vereador e da namorado, a mãe do menino, Monique Medeiros da Costa e Silva, que afirmaram que estavam assistindo a uma série e pegaram no sono na noite do falecimento de Henry.

Publicidade

Enquanto prestava sua versão da história para o delegado Henrique Damasceno, pouco mais de uma semana da morte de Henry, Jairinho disse que ficou assistindo desde 1h. Monique contou, inicialmente, que se acordou na madrugada e encontrou o filho caído no chão e gritou pelo companheiro.

Publicidade

Já em uma segunda versão, descrita em uma carta de dentro da prisão por Monique, ela conta que quando chegou até o quarto onde Henry estava desacordado encontrou Jairinho ao lado do menino, e que o vereador afirmou que o enteado havia caído da cama.

Publicidade

Nesta semana, Jairinho e Monique foram indiciados pela morte de Henry. A polícia acredita que o parlamentar agrediu a vítima e que a mãe encobriu os atos de violência que o filho vinha sofrendo, mesmo tendo sido alertada pela própria vítima e pela babá, Thayná Oliveira

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.