in

Mãe de 29 anos morre dois dias após ser picada por jararaca; ela deixa uma filha de 5 anos e outra de 3 meses

Vítima foi atacada quando retirava uma fruta do pé para sua filha mais velha.

UOL

A jovem Franciele Bergamin, de 29 anos, não resistiu às complicações oriundas de uma picada no braço provocada por uma cobra jararaca e morreu na última sexta-feira (30), dois dias após ser alvo do animal venenoso. O caso ocorreu em Vila Rica, no Mato Grosso.

Publicidade

Casada, Franciele deixou duas filhas, uma de cinco anos e uma de apenas três meses de vida, e o esposo, Claudinei, integrante de uma banda de forró no município.

De acordo com informações repassadas por familiares, Franciele foi atingida no quintal de casa. Ela morava com o esposo e as duas filhas em uma fazenda na zona rural da cidade. Na última quarta-feira (28), seguindo um hábito comum, ela se dirigiu até o pé de maracujá para pegar a fruta para filha. Contudo, ao se aproximar ela acabou sendo atacada pela cobra e picada no braço. 

Publicidade

Prontamente socorrida para o hospital, a jovem recebeu soro antiofídico, para que o veneno da cobra fosse neutralizado. Entretanto, o estado de saúde da paciente acabou piorando, e ainda na quarta-feira ela teve que ser transferida às pressas para um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional Água Boa. 

Publicidade

Não resistiu

Dois dias após dar entrada na unidade, Franciele acabou não suportando e teve óbito confirmado. Segundo informações da unidade hospitalar, a paciente de 29 anos teve um quadro de insuficiência renal aguda, hipotensão, hipotermia e choque tóxico. 

Publicidade

Peçonhenta, a jararaca é uma das cobras venenosas mais comuns em solo nacional, podendo atingir até 2 metros de comprimento. O animal conta com corpo marrom e manchas escuras, o que facilita para a sua camuflagem em diversos locais. Entre todas as serpentes existentes em solo nacional, esta espécie responde a 90% dos acidentes com cobras no país.

Publicidade
Publicidade
Publicidade