in

Caso Ketelen: Mãe e madrasta fecharam janela do quarto onde menina era torturada com tijolos; detalhe impacta

Vizinhos afirmam que nunca viam a menina na rua brincando com outras crianças.

UOL | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Detalhes sobre os últimos dias de vida da menina Ketelen Vitória, de apenas 6 anos, seguem sendo divulgados. A criança faleceu em Porto Real no último dia 24 de abril após ser espancada pela mãe e pela madrasta. De acordo com o site UOL, Brena Luane Barbosa Nunes, madrasta de Ketelen e Gilmara Oliveira de Farias, mãe da menina, impunham uma rotina de violência à criança.

Publicidade

A menina foi levada ao hospital desacordada e com vários hematomas pelo corpo, vindo a óbito seis dias após ser internada. Segundo as investigações da Polícia do Rio de Janeiro, Ketelen foi espancada pelo casal por pelo menos 4 vezes no último mês de abril.

Brena e Gilmara se conheceram pela internet e passaram a morar juntas no interior do Rio de Janeiro. Na casa, também morava a mãe de Brena, Rosângela Nunes. As três mulheres seguem presas pela morte da criança. Em depoimento, Rosângela confessou que a filha era violenta e que Keleten teria sido espancada por ter bebido um copo de leite sem autorização.

Publicidade

De acordo com vizinhos, ninguém sabia que a menina residia no endereço, já que ela nunca era vista fora de casa brincando com outras crianças. Outro detalhe impacta, a janela do quarto onde a Ketelen era mantida em cárcere privado foi fechada com tijolos.

Publicidade

Estranhamente fecharam a janela de um dos cômodos com tijolos há alguns meses. E as outras duas janelas, sempre ficam fechadas. Quando raramente estão abertas, colocam lençóis ou plástico preto”, disse uma vizinha que não quis se identificar. Brena e Gilmara responderão pelo crime de tortura e homicídio triplamente qualificado.

Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade