in

Caso Henry: Jairinho divide cela coletiva com outros cinco presos; ficha criminal dos detentos é revelada

Parlamentar está detido desde o dia 8 de abril, por atrapalhar as investigações do inquérito que apura morte do menino de 4 anos.

R7 Reprodução - Jornal Extra - Montagem

Tido como principal suspeito nas investigações do caso de morte do menino Henry Borel de Almeida, de 4 anos, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), saiu do isolamento na última quinta-feira (29), e passou a dividir cela com outros detentos na unidade prisional onde se encontra.

Publicidade

Desde o final da tarde de ontem, o parlamentar está alocado na cela D do Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, situado no Complexo de Gericinó, mais conhecido como Bangu 8.

Após o término do prazo de isolamento por conta dos protocolos da Covid-19 adotados pela Seap, Jairinho passou por uma análise de aceitação de outros presos e foi deslocado para um dos maiores espaços coletivos da unidade prisional.

Publicidade

O local conta com cerca de 70 metros quadrados e uma capacidade para até 70 pessoas. No momento, apenas Jairinho e outros cinco detentos ocupam o espaço. As informações foram reveladas pelo jornal Extra.

Publicidade

Ainda segundo o periódico, o parlamentar está dividindo espaço com Clayton Luiz Vieira, preso na Operação Sturm, realizada ano passado, acusado de organização criminosa.

Publicidade

A lista dos ocupantes da mesma cela que Jairinho ainda conta com um homem acusado de crimes contra a previdência social, um funcionário do aeroporto internacional do Rio, que teria liberado uma remessa de drogas; além de outros dois detentos. Segundo o Extra, o espaço conta com beliches banheiros e três chuveiros. Todos os detentos têm direito a quatro refeições diárias e duas horas de sol no pátio.

Presos conhecidos

A cela em que Jairinho se encontra já foi ocupada por outros parlamentares recentemente, como André Corrêa (DEM), Marcus Viníccius Nesaku (PTB), Luiz Martins (PDT) e Chiquinho da Mangueira (PSC), todos eles presos na Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava Jato. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade