in

Caso Henry: advogada de Monique diz que ela foi privada de ver TV e falar com a família; ‘Acesso a nada’

A advogada Thaise Mattar Assad contou detalhes sobre as informações passadas por Monique de dentro da prisão.

UOL | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

A nova defesa de Monique Medeiros tenta colher informações da professora a fim de traçar um novo perfil diante da Justiça. Após ser presa, a mãe de Henry afirmou que foi coagida pela família do namorado, Jairo Souza, a mentir em seu primeiro depoimento à polícia. De acordo com o site UOL, a advogada Thaise Mattar Assad contou detalhes sobre as informações passadas por Monique de dentro da prisão.

Publicidade

A defesa insiste para que a professora seja ouvida novamente pela polícia e garante que a cliente foi submetida a uma rotina de medo e violência por parte de Jairinho. A advogada disse, ainda, que Monique pediu para que a babá apagasse mensagens comprometedoras a pedido do vereador.

Monique segue isolada se recuperando de Covid-19 e só se comunica com a defesa através de cartas. Sobre a carta de 29 páginas escrita pela professora, Thaise afirmou que faltaram informações pelo fato de os advogados terem que deixar a unidade hospitalar. A defesa garante que a carta não exclui a importância de um novo depoimento.

Publicidade

Monique teria narrado os dias que sucederam à morte do filho para os advogados e afirmado ter sido coagida por Jairo. “Começou a ser envolvida num enredo com mentiras e começou a ser pressionada, bloqueada de ver televisão, notícias, ter acesso à família, ao próprio carro e treinada para dar uma versão única”, disse Thaise Assad.

Publicidade

Sobre o casal estar junto no dia da prisão, a advogada revelou que Monique estava sendo pressionada a manter um enredo único e limitada a ter acesso a informações de fora. A professora era representada pelos mesmos advogados de Jairinho, e optou por fazer a troca da defesa após ser presa.

Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade