in

Mensagem recuperada indica que defesa de Monique simulou interrogatório sobre morte de Henry: ‘Deus me ajude’

A polícia recuperou mensagens reveladoras do celular de Monique Medeiros.

G1 | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Nesta semana, novas provas sobre o caso da morte do menino Henry vêm sendo reveladas. Mensagens recuperadas do celular da professora mostram que a defesa de Monique e Jairo teria simulado uma espécie de interrogatório com o casal. O intuito seria manter a mesma versão sem contradições diante da polícia.

Publicidade

Um dia antes de prestar depoimento à polícia, Monique conversou com a mãe, Rosângela Medeiros, e afirmou que iria se encontrar com os advogados. A professora afirmou que este seria o primeiro de dois encontros para falarem sobre o futuro depoimento do casal à polícia. Nas mensagens, a mãe de Henry se mostra incomodada com a situação.

De acordo com o site UOL, impedida de ser ouvida novamente pela polícia, a professora escreveu uma carta de próprio punho onde contou toda sua história ao lado de Jairinho. Monique ainda falou sobre o comportamento agressivo do vereador e afirmou que teria sido ameaçada antes de seu primeiro depoimento.

Publicidade

As mensagens recuperadas pela polícia mostram a professora apreensiva em conversa com a mãe. “Indo de novo pro advogado. Foram 7 horas direto de interrogatório ontem [15 de março]. Fazendo um possível inquérito. Hoje será de novo. E amanhã de novo. Que Deus me ajude. Não há quem aguente”, escreveu Monique em 16 de março, um dia antes de prestar depoimento à polícia.

Publicidade

Ainda segundo o site UOL, as mensagens indicam que a defesa teria preparado o casal em uma possível simulação de interrogatório. Procurada, a defesa de Monique afirmou que as mensagens comprovam que, de fato, a cliente foi coagida antes do primeiro depoimento como ela mencionou na carta escrita pela prisão. A Justiça ainda não decidiu se a professora será ouvida novamente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade