in

Doméstica que foi morta a marretadas em Metrô estava indo trabalhar e não conhecia agressor; caso comove

Ataque contra vítima de 46 anos se deu por volta das 5h da última segunda (26), em linha1- Azul do Metrô de SP.

UOL

O que tinha para ser apenas mais um dia de rotina para a doméstica Roseli Dias Bispo, de 46 anos, acabou se tornando um pesadelo impactante por uma ação criminosa bárbara cometida contra ela. Seguindo para o trabalho na linha1-Azul do Metrô, em SP, ela acabou sendo agredida a marretadas por um outro passageiro que estava na composição. Socorrida às pressas, a mulher acabou não resistindo aos ferimentos. 

Publicidade

O agressor, um aposentado de 55 anos, foi espancado por outras pessoas que estavam na composição no momento do crime. Revoltados, passageiros desferiram diversos golpes contra o agressor, e a ação só foi cessada com a chegada das autoridades.

Em conversa com os agentes policiais, o homem relatou tomar remédios controlados, e justificou a ação por ter “ouvido vozes” ordenando o crime contra Roseli. Os dois não se conheciam. Segundo testemunhas, a mulher estava sentada no momento do ataque bárbaro. 

Publicidade

Mesmo horário

Em entrevista ao portal UOL, o filho da vítima, Thiago Bispo, de 21 anos, afirmou que a mãe seguia para mais um dia de trabalho quando foi atacada pelo aposentado. “Nesse mesmo horário ela sempre passava por essa linha”. 

Publicidade

Detenção

Após ser salvo do espancamento por policiais, o agressor foi levado ao Pronto-Socorro da Santa Casa da Misericórdia, em São Paulo, e segue internado para tratar os ferimentos. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, ele será encaminhado para uma unidade prisional, onde aguardará as investigações e julgamento do processo. 

Publicidade

O caso foi registrado como homicídio qualificado e as investigações já foram iniciadas pela Delpom (Delegacia de Polícia do Metropolitano), que já solicitou junto ao Metrô imagens das câmeras de segurança para tentar flagrar como se deu a ação criminosa. Testemunhas que estavam presentes no vagão também serão ouvidas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade