in

Homem que matou mulher a marretadas no Metrô diz ter ouvido vozes; agressor foi internado após linchamento

Caso aconteceu na madrugada da última segunda-feira (26) e gerou grande movimentação na linha1-Azul do Metrô.

UOL - Diário do Litoral

Um aposentado de 55 anos é o principal suspeito de ter agredido uma mulher a marretadas na linha1-Azul do Metrô, de SP, na madrugada da última segunda-feira (26). A vítima, de 46 anos, que não teve a identidade revelada, acabou não resistindo aos ferimentos e teve a morte confirmada. 

Publicidade

O homem estava armado com uma faca e uma marreta. Segundo funcionários do Metrô, ele teve um surto psicótico e partiu para cima da vítima, desferindo diversos golpes. Eles não se conheciam. O caso ocorreu próximo à estação da Sé, por volta das 5h10 da última segunda.

De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública, os seguranças relataram que estavam em outro setor quando ouviram a gritaria vindo da plataforma inferior. 

Publicidade

Quando chegaram no local, os seguranças se depararam com o aposentado sendo agredido por diversos passageiros. Neste momento, o homem de 55 anos já tinha desferido os golpes contra a vítima que estava no chão.

Publicidade

Após ter sido salvo de um espancamento que poderia lhe levar à morte, o aposentado de 55 anos foi detido e levado para uma unidade hospitalar para tratar os ferimentos. Em conversa inicial com os policiais, o homem relatou ter “ouvido vozes” para praticar a ação criminosa. 

Publicidade

Ele está sob escolta policial na Santa Casa, e será encaminhado para uma unidade prisional após receber alta. A mulher que foi alvo das marretas chegou a ser socorrida para a Santa Casa, mas morreu pouco tempo após dar entrada na unidade.

O crime bárbaro foi registrado no Delpom como homicídio qualificado. Nos próximos dias, a Polícia colherá oitivas de algumas testemunhas, enquanto aguarda os resultados de laudos periciais.

Publicidade
Publicidade