in

Após uma semana, ocupação de leitos em UTI em São Paulo permanece abaixo dos 80%

As taxas não eram verificadas desde o mês de março, que novamente trouxe a explosão de casos de Covid-19.

Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Neste último domingo (25), São Paulo registrou uma taxa de ocupação de 78,5% dos leitos de UTI destinado ao tratamento de pacientes com Covid-19. Com este número a Grande São Paulo registrou uma semana seguida com o índice de ocupação abaixo dos 80%. Essa taxa de ocupação não ocorria desde o mês de março, que foi o mês que a explosão de casos e internações por Covid-19 voltaram a ocorrer.

Publicidade

No mês de março o índice de ocupação das UTIs paulistas chegou a bater os 90% e mais de 500 pessoas vieram a óbito por causa da fila de espera. O governo de São Paulo comemora o alívio no sistema de saúde, contudo, alguns especialistas afirmam que não é hora de comemorar, pois a pandemia no estado ainda se encontra em um grau bastante elevado. 

Vale lembrar que a diminuição da ocupação dos leitos de UTI também tem haver com a abertura de novos leitos, e especialistas alertam que os indicadores de contaminados e de mortos por Covid-19 ainda continuam muito elevados. Outra taxa que sofreu queda foi a de internações diárias que registrou um leve decaimento de 6%. Apesar das baixas o número de pacientes que se encontram internados em São Paulo ainda é elevado.

Publicidade

Outro índice importante que também sofreu decréscimo foi a média móvel de mortes diárias, é a primeira vez desde janeiro que o índice sofre queda. No último domingo (25), a média móvel de mortes era de 620 pessoas por dia. Essa verificação indica que a pandemia está desacelerando, contudo, autoridades alertam que não é hora de total relaxamento.

Publicidade

Entretanto, apesar dos números positivos o mês de abril já se tornou o mais letal desde o início da pandemia em fevereiro de 2020.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade