in

Caso Ketelen: mãe de uma das agressoras que matou menina de 6 anos expõe detalhes sobre namoro das assassinas

Rosângela Nunes, mãe de Brena, contou sobre relacionamento das duas e sobre rotina de violências contra a criança.

Reprodução: Folha UOL / Extra Online - Fotomontagem por Vieira Filho

Na madrugada do último sábado (24), a pequena garota Ketelen Vitória, de apenas 6 anos, veio a óbito, na cidade de Porto Real, sul Fluminense, após não resistir a uma parada cardiorrespiratória oriunda da série de violências praticadas pelas mãos de sua própria mãe, Gilmara Oliveira de Farias, e de sua madrasta, Brena Luane Barbosa Nunes.

Publicidade

Ketelen estava internada em uma unidade de saúde particular após ser transferida do Hospital Municipal São Francisco de Assis, onde chegou, na última segunda-feira (19), com um quadro de politraumatismo, coma arreflexo e diversas lesões corporais.

As agressões da mãe e da madrasta contra Ketelen teriam se iniciado na sexta-feira (16), quando a criança haveria derramado um leite ao abrir duas caixas para tomar. A partir deste dia, a criança ficou sem comer até ser levada ao hospital.

Publicidade

Ketelen Vitória morava com Gilmara, Brena e Rosângela, mãe da madrasta, desde julho do último ano. Segundo Rosângela, a criança vivia uma rotina de violências e privações na casa.

Publicidade

Versão de Rosângela sobre o relacionamento

A mãe da madrasta revelou, também, detalhes acerca do relacionamento da filha com Gilmara. De acordo com ela, Gilmara teria chegado a comprar uma passagem para ir embora de Porto Real com Ketelen. Entretanto, Brena não deixou.

Publicidade

Rosângela também revelou que sua filha mandava, com frequência, Gilmara ir embora de casa, mas ela não ia. Ademais, a mãe de Brena relatou que Ketelen era impedida de circular pela casa, teve seus brinquedos queimados e não comia. A criança foi agredida com pedaços de madeira, cabos de internet e arremessos contra a parede.

Além das declarações de Rosângela acerca do relacionamento das duas, Gilmara narrou, à polícia, que Brena sentia ciúmes da mulher com a filha.

O casal está detido e deve ser indiciado pelo crime de tortura. Gilmara e Brena confessaram a autoria das agressões.

Publicidade
Publicidade
Publicidade