in

Caso Henry: corpo do menino pode ser desenterrado e detalhes são expostos

O menino morreu no dia 8 de março após receber diversas lesões pelo corpo.

UOL/Montagem

A morte do menino Henry Borel Medeiros continua um grande mistério apesar das diversas provas encontradas pelas investigações. A criança, que tinha quatro anos, teve óbito confirmado pela equipe médica do hospital particular Barra D’or, no dia 8 de março deste ano, após ser levado pela mãe e o padrasto para a unidade de saúde.

Publicidade

A polícia do Rio de Janeiro realizou no último dia 01, uma reprodução simulada da morte de Henry. O procedimento, que avaliou todas as hipóteses de queda, deixou claro para as autoridades que a criança não poderia ter sofrido um acidente doméstico.

No corpo de Henry foram encontradas 23 lesões, inclusive, na cabeça. Henry ainda sofreu hemorragia interna após ser lesionado no fígado, conforme a avaliação dos legistas. O padrasto da vítima, o vereador Jairo Souza Santos Júnior, é o principal suspeito pela morte.

Publicidade

Dr. Jairinho, como é conhecido popularmente o político, está preso desde o dia 8 de abril. O advogado de defesa do parlamentar afirmou que vai questionar as provas técnicas expostas pela polícia sobre o seu cliente e poderá até pedir exumação do corpo de Henry.

Publicidade

A exumação seria para que o menino fosse avaliado novamente e emitir um novo laudo necroscópico. Bras Santana, que está defendendo Jairinho desde o último dia 19, acredita que o trabalho realizado pelos peritos do caso não foi bem feito.

Publicidade

O advogado do político afirma que não pretende, em defesa do seu cliente, fazer alegações de cunho psiquiátrico, apesar do parlamentar ter visitado recentemente um profissional da área.

Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.