in

Ex-comandante do Exército solta o verbo contra ex-ministro da Saúde: ‘Pazuello se ferrou e nos ferrou junto’

Em encontro ocorrido em Brasília, Edson Pujol falou sobre a atuação do colega de farda general Pazuello.

O Globo

Em um encontro ocorrido em Brasília, o ex-comandante do Exército, o general Edson Leal Pujol, aproveitou para tecer comentários a cerca do que pensa sobre a atuação do seu colega de farda, o general Eduardo Pazuello, frente ao Ministério da Saúde em plena pandemia da Covid-19.

Publicidade

De acordo com Pujol, o ex-ministro deveria ter tomado uma atitude quando Bolsonaro o impediu de comprar vacinas.

“Pazuello, quando o Bolsonaro lhe proibiu de comprar vacinas, você deveria ter pedido demissão. Obedecendo, você se ferrou e nos ferrou junto”, disse o ex-comandante. A informação foi divulgada pelo colunista do O Globo Ancelmo Gois.

Publicidade

Pazuello havia assumido o Ministério da Saúde do governo Bolsonaro de forma interina em maio de 2020, após a saída de Nelson Teich por conta de divergência de ideias com o presidente da República a cerca das políticas de combate a pandemia no Brasil. O militar viria a se tornar o titular da pasta em 16 de setembro do mesmo ano e foi o terceiro nome a ocupar a cadeira da Saúde durante a pandemia que se tornou uma dor de cabeça para o governo Bolsonaro. 

Publicidade

Antes dele e de Teich, Luiz Henrique Mandetta chefiava a pasta, mas também pediu exoneração do cargo por discordar das ideias do presidente em relação às medidas de prevenção e contenção da Covid-19.

Publicidade

Pazuello deixou a pasta da Saúde em meio a uma crescente no número de casos e mortes por complicações da Covid-9 no país e deu lugar ao médico cardiologista Marcelo Queiroga, que teve seu termo de posse assinado por Bolsonaro em 23 de março de 2021.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.