in

Câmara aprova projeto que prevê a proibição da suspensão das aulas presenciais durante a pandemia

Pelo texto, a educação básica e superior presencial passariam a ser consideradas serviços essenciais.

Alexandra Koch

Na madrugada desta quarta-feira (21), a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base de um projeto que visa proibir que as aulas presenciais sejam suspensas durante a pandemia do novo coronavírus.

Publicidade

De acordo com o texto, a modalidade de ensino presencial passaria a ser considerada como atividade essencial, porém, com exceção para estados e municípios em que as condições sanitárias não permitam um retorno seguro aos alunos, com base em critérios técnicos e científicos. Agora que passou pelos deputados federais, a proposta segue para apreciação dos senadores.

Segundo o projeto, um ato do poder Executivo local deverá explicitar a situação sanitária que venha a impedir as aulas, porém, não esclarece quais os critérios técnicos e científicos a serem adotados.

Publicidade

Para os opositores, o texto é carregado de subjetividade e agride a autonomia dos estados e municípios. Já na visão dos que defendem a proposta, há dispositivos na mesma que garantem a independência das unidades federativas.

Publicidade

Com a possível aprovação do projeto, educação básica e ensino superior presencial em rede pública e privada passariam integrar a lista de serviços essenciais em situação de pandemia, emergência e até mesmo calamidade pública.

Publicidade

O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) se posicionou contra o projeto e defendeu que a avaliação da situação epidemiológica seja feita por cada gestor, estadual ou municipal, juntamente com a autoridade sanitária local para que seja tomada qualquer decisão sobre manter ou suspender aulas presenciais.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.