in

Delegado diz que Monique protegeu Jairinho mesmo após agressões a Henry: ‘Pediu para babá apagar mensagens’

Nova defesa da professora deseja levantar a tese de que ela foi coagida pelo namorado Jairo Souza.

G1 | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Na última semana, Monique Medeiros, mãe do menino Henry, trocou de advogados. De acordo com o site G1, Antenor Lopes, delegado-chefe do Departamento de Polícia da Capital, afirma que a nova defesa da professora deseja adotar a tese de que ela tenha sido coagida ou ameaçada por seu companheiro, Jairo Souza.

Publicidade

Porém, a polícia não acredita nesta hipótese e afirma que nenhum indício de coerção foi encontrado. Em seu primeiro depoimento, a mãe de Henry contou a mesma versão de Jairinho. O casal garantiu que encontrou o menino desacordado no meio da madrugada no apartamento onde moravam. Henry foi socorrido e já chegou ao hospital sem vida.

Na última segunda-feira (19), Monique, que está presa preventivamente por suspeita de homicídio duplamente qualificado, testou positivo para a Covid-19 foi transferida para o Hospital Penitenciário Hamilton Agostinho. A professora ficará em isolamento até realizar um novo teste.

Publicidade

O delegado Antenor Lopes se manifestou sobre a nova tese da defesa de Monique. “A versão dela era para proteger o companheiro, Jairinho, inclusive pedindo para a babá apagar as mensagens que indicavam as agressões ao menino no dia 12 de fevereiro”, disse o chefe do Departamento de Polícia.

Publicidade

Nesta semana, a polícia decidirá se Monique prestará um novo depoimento, assim como foi solicitado por sua defesa. Os novos advogados afirmam que a professora ainda possui muitas informações para oferecer à polícia. Em nota, a defesa de Monique reiterou a necessidade de um novo depoimento nesta terça-feira (20).

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade