in

Em SP: Deputados do MBL são acusados de invadir hospital, mas governo recua logo após

Governo de São Paulo declarou que a atitude dos parlamentares colocou a saúde de várias pessoas em risco.

Reprodução/UOL

Na tarde da última sexta-feira, os deputados estaduais Arthur do Val (Patriotas), Ricardo Mellão (Novo) e o deputado federal Kim Kataguiri (DEM) foram acusados de invadir um hospital público na cidade de Guarulhos-SP. Vale lembrar que Kim Kataguiri e Arthur do Val são membros do grupo político MBL (Movimento Brasil Livre). Devido à ação dos parlamentares, a Secretária de Saúde de São Paulo emitiu uma nota repudiando e declarando que a atitude dos deputados colocou em risco a saúde de todos os profissionais e pacientes do local.

Publicidade

A Secretária de Saúde ainda declarou que a atitude dos parlamentares não é compatível com as ações esperadas de autoridades, pois os deputados deveriam zelar pela segurança e saúde de toda a população brasileira. A suposta invasão foi registrada pelas câmeras de segurança do hospital e divulgado nas redes sociais da unidade de saúde. 

O hospital informou que a unidade de saúde segue todos os protocolos sanitários disponíveis para conter a disseminação da Covid-19, e que com a invasão dos parlamentares toda a equipe de profissionais e pacientes da unidade de saúde tiveram a sua integridade colocada em risco. O governo de São Paulo informou que está aberto aos deputados, contudo, com o devido diálogo e bom senso.

Publicidade

Em sua defesa, o deputado Kim Kataguiri afirmou que a acusação é uma grande mentira e que é lamentável a pasta do governo divulgar uma “fake news”. Arthur do Val afirmou que a visita dos deputados foi, na verdade, uma fiscalização surpresa na unidade de saúde. Desse modo houve um espanto nas pessoas presentes, contudo, em nenhum momento foi utilizada violência ou houve desrespeito.

Publicidade

Conforme os parlamentares a visita tinha como objetivo verificar se os médicos estavam aparecendo no hospital, se havia atendimento correto à população e se o hospital dispunha dos materiais necessários para um bom atendimento. 

Publicidade

Apesar do mal-entendido, a Secretária de Saúde de São Paulo declarou que analisou melhor as imagens e constatou que não houve invasão, mas alertou aos parlamentares que visitas nesse momento não são recomendadas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade