in

Caso Henry: amiga diz que Monique nunca quis ser mãe e traz revelações sobre comportamento dela

Monique Medeiros está detida em unidade prisional situada em Niterói, no Rio de Janeiro.

O Globo

O caso de morte do menino Henry Borel de Almeida, de 4 anos, pegou todos de surpresa e impactou o país, a medida que novas revelações obtidas através de investigações vão surgindo.

Publicidade

Classificada como uma pessoa carinhosa e atenciosa na escola municipal em que atuava como diretora no Rio, a mãe da criança, Monique Medeiros, está presa por suspeita de envolvimento no óbito do próprio filho, cenário que causou grande espanto nas pessoas do convívio.

Em uma entrevista ao programa “Cidade Alerta RJ”, uma amiga de Monique descreveu a ex-colega de escola como uma mulher com seus toques de vaidade, que gostava do luxo e da convivência com pessoas influentes. Segundo ela, a professora nunca demostrou vontade de ser mãe.

Publicidade

Em seu relato ao programa, a esteticista Thais Pacheco disse ter ficado impactada ao ver a imagem de Monique nos noticiários sendo apontada como suspeita na morte do próprio filho.

Publicidade

“Eu sou mãe, né? Que mãe não fica surpresa com isso? E saber que convivi com uma pessoa assim. Não podemos voltar no tempo. Mas, se eu soubesse e pudesse imaginar que isso poderia acontecer, passaria dias conversando para tentar proteger numa caixinha”, disse a amiga de Monique. 

Publicidade

Em entrevista recente, o ex-marido de Monique e pai de Henry, o engenheiro Leniel Borel, disse que a gestação do filho foi bastante complicada, e a ex-companheira teve um “baque” quando soube que estava grávida. Ainda segundo ele, Monique não desejava ter outro filho, e se mostrava como uma pessoa bastante vaidosa e preocupada com o corpo.

Mudança de ares

Ao conhecer Jairinho, Monique Medeiros mudou da “água para o vinho”. Ela pediu exoneração do cargo na escola em que trabalhava e iniciou um trabalho no Tribunal de Contas do Município (TCM), após indicação do vereador. Com isso, o salário dela saiu dos R$ 4 mil para R$ 12 mil.

Além disso, ela mudou de endereço, trocando a vida simples da residência com os pais, moradores em Bangu, zona oeste do Rio, para morar no condomínio Majestic, localizado na Barra da Tijuca, de classe média alta. Neste sábado (17), os novos advogados da mãe de Henry voltaram a insistir para ela prestar um novo depoimento sobre o caso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade