in

Ex-funcionária denuncia e detalha agressões de Jairinho contra filho de ex-namorada e relata apelido: ‘Monstro’

Depoimentos dados nas últimas semanas complicam ainda mais a situação do vereador no inquérito que apura o caso Henry.

VEJA / REPRODUÇÃO RECORD TV

Ex-funcionária da família de uma ex-namorada do médico e vereador Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, a dona de casa Valéria Batalha, trouxe fortes revelações de episódios de agressões do parlamentar contra o filho de Débora Mello Saraiva. 

Publicidade

Em entrevista à TV Globo, a doméstica disse que ao menos quatro vezes o filho da ex-namorada foi agredido pelo parlamentar. Débora, inclusive, prestou novo depoimento ao delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP, nesta sexta-feira (16), e relatou ter sido alvo de violência, juntamente com seu filho, por diversas vezes. A criança tinha três anos na época.

O relacionamento dos dois durou seis anos, e foi rompido em outubro do ano passado, quando Jairinho já se relacionava com a mãe de Henry, a professora Monique Medeiros. 

Publicidade

Segundo Valéria Batalha, ela chegou a se deparar com a mudança de comportamento do filho de Débora, que antes era tão alegre, mas diante da convivência com Jairinho, mudou drasticamente, ela também passou a reparar lesões no menino.

Publicidade

“Quando eu fui olhar, ele estava com algumas manchinhas roxas na perninha, na altura da perninha e na altura da bacia. Aí, eu passei a observar e notei que ele começou a ficar muito triste”, disse a ex-funcionária da família de Débora. 

Publicidade

Monstro

Ainda segundo Valéria, em uma dos episódios de agressão, o menino “ficou com o rostinho muito roxo, os olhinhos fechados” e permaneceu internado por uma semana. A ex-funcionária disse que a avó do garoto costumava chamar o vereador de “Monstro”. Questionada sobre o apelido, a doméstica disse que acreditar que se devia ao comportamento violento do parlamentar. 

Monique e Dr. Jairinho cumpre prisão temporária de 30 dias. Ambos devem ser autuados por homicídio duplamente qualificado e crime de tortura. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade