in

Lula diz que será candidato para ganhar de ‘um fascista que se chama Bolsonaro’: ‘Genocida’

Em entrevista para um canal de TV argentino, o ex-presidente comentou sobre o seu futuro na política.

Amanda Perobelli / Reuters

Após ter suas condenações anuladas pelo STF, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está elegível para disputar o cargo de presidente novamente nas eleições de 2022. Diante disso, o ex-mandatário comentou sobre o assunto em uma entrevista concedida ao canal de TV C5N, da Argentina.

Publicidade

Lula diz que, se “necessário”, ele será sim candidato, para que assim ele ganhe de “um fascista que se chama Bolsonaro”. E não foi só isso, o ex-presidente ainda completou: “um genocida”. Por fim, Lula diz ainda que, segundo ele, Bolsonaro pode ser o maior responsável pelo caos que o país enfrenta atualmente devido à pandemia da Covid-19.

Na entrevista, o ex-presidente disse ainda que “não necessariamente” concorrerá como um candidato do PT (Partido dos Trabalhadores).

Publicidade

Lula também comentou sobre os seus problemas judiciais afirmando que tudo não passou de uma grande mentira, contudo, ressalta que seus advogados acabaram conseguindo provar que “era uma farsa”. Segundo o petista, o juiz, os procuradores e até a Polícia Civil mentiu, isso porque tinham que tirá-lo da disputa eleitoral. Mesmo diante do que passou, Lula ressalta estar “pronto para a briga”.

Publicidade

Mesmo com a decisão do STF de anular as condenações de Lula, ainda serão encaminhadas à Justiça Federal do DF ou de São Paulo, quatro ações penais que miram o ex-presidente: do sítio em Atibaia, do tríplex do Guarujá e as outras duas envolvendo o Instituto Lula. Após serem encaminhadas, estas ações ganharam uma “nova vida”. Na próxima quinta-feira, o julgamento deve ser retomado e, neste momento, o plenário irá analisar um outro ponto delicado do caso envolvendo o petista: se será arquivada ou não a suspeição do ex-juiz federal Sérgio Moro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade