in

Ex de Jairinho narra a Cabrini supostas agressões ao filho: ‘Ficou em pé no sofá e subiu na barriga’

Débora Saraiva, ex-namorada do vereador, contou detalhes do relacionamento conturbado à polícia.

UOL | Divulgação

Nesta semana, a Polícia Civil do Rio de Janeiro ouviu a assistente social Débora Saraiva, de 34 anos. Débora é ex-namorada do vereador Jairo Souza, preso sob suspeita de participar da morte do menino Henry Borel. A polícia deseja traçar o perfil de Jairo e analisar como eram as suas relações anteriores ao seu namoro com Monique Medeiros, mãe de Henry.

Publicidade

Débora afirmou que o ex sempre apresentou perfil violento, chegando a agredi-la por algumas vezes. A assistente social também afirmou que chegou a alertar Monique sob o perfil de Jairo em outubro do ano passado, mas que, apesar de assustada, continuou a namorar o médico.

De acordo com o site UOL, em entrevista exclusiva à Roberto Cabrini, Débora afirmou que pôs fim ao relacionamento com Jairinho após saber que ele também estava se relacionando com Monique. A assistente social revelou, ainda, que chegou a ligar para Monique, mas que a professora afirmou que seria impossível que Jairo tivesse namorando as duas.

Publicidade

Ela disse ‘impossível porque ele está separado. Ele até falou que tem uma pessoa aí que enche o saco dele, mas não falou nada de você‘”, disse Débora em entrevista a Cabrini. Após perceber que Monique não ouviria seus conselhos, a ex do vereador teria bloqueado o casal das redes sociais.

Publicidade

A ex do vereador também afirmou que ele teria agredido seu filho, que na época da relação tinha apenas dois anos. Débora contou detalhes sobre o relato do menino após as supostas agressões. “Ficou em pé no sofá e subiu na barriga do meu filho com todo o peso. E aí teve uma hora que ele conseguiu sair e fugir dele”, disse a assistente social. Jairo e Monique seguem presos preventivamente no Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade