in

Caso Henry: Monique e Jairinho sofrem nova derrota na Justiça no inquérito que apura morte da criança

Parlamentar e professora permanecem cumprindo prisão temporária em presídios do RJ.

UOL

Detidos desde a última quinta-feira (8), por atrapalharem as investigações do caso de morte do menino Henry Borel, de 4 anos, a professora Monique Medeiros, mãe da criança, e o namorado dela, o médico e vereador Dr. Jairinho, sofreram mais uma derrota na Justiça.

Publicidade

Na última quinta-feira (15), a Justiça do Rio de Janeiro negou um novo pedido de liberdade em favor do casal. O pedido havia sido executado pelo advogado Vinicius de Castro que, segundo o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), que não representa o casal no processo.

O pedido visava o trancamento da ação penal contra o vereador e a mãe de Henry, bem como a revogação da prisão temporária dos dois. Ambos cumprem prisão por 30 dias, enquanto as investigações são concluídas. 

Publicidade

De acordo com o solicitante, devido aos policiais usarem algemas e por invadirem a residência, essa atitude teria invalidado a prisão do casal. Monique e Jairinho foram detidos na residência da tia do parlamentar, em Bangu, na manhã do dia 8 de abril. 

Publicidade

Desembargador da 7ª Câmara Criminal do TJ-RJ, Domingos de Almeida Neto, foi responsável por dar a decisão negativa quanto à solicitação. O magistrado afirmou que não há elementos para a concessão da liberdade de Monique e Jairinho. 

Publicidade

Segundo a Polícia Civil, o casal responderá por homicídio duplamente qualificado com emprego de tortura. 

Depoimentos

Nesta semana, o delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP, colheu vários depoimentos com testemunhas sobre o caso. Entre os depoentes estiveram: a babá de Henry, a empregada doméstica, a irmã de Jairinho, e funcionários do salão de beleza que Monique Medeiros costumava frequentar, e teve uma discussão com Jairinho por telefone, após o filho pedir pra ela voltar para casa e questioná-la se ele a atrapalhava.

Ainda devem depor à Polícia, a mãe de Monique Medeiros, e a ex-namorada de Jairinho, Débora Silveira, que já revelou ter sido vítima de agressões pelo vereador, juntamente com o filho. O depoimento da mulher de 34 anos está previsto para ocorrer nesta tarde (16), na 16ª DP (Barra da Tijuca). Segundo o advogado dela, novas informações serão reveladas.

Débora teve um relacionamento de seis anos com o parlamentar. Em entrevista concedida ao jornalista Roberto Cabrini para o programa “Cidade Alerta”, da Record TV, ela disse ter alertado Monique Medeiros sobre o comportamento agressivo de Jairzinho. Na época, o vereador namorava com as duas. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade