in

Avô de Henry adota silêncio após polemizar ao dizer que acredita na inocência de Monique: ‘Não tenho medo’

Monique e Jairinho estão detidos há mais de uma semana em presídios distintos do Rio de Janeiro.

ARQUIVO PESSOAL MONIQUE MEDEIROS / REPRODUÇÃO GLOBO

As investigações do caso Henry Borel estão se aproximando de aproximando da reta decisiva no inquérito que chocou o país. Nesta semana, o advogado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca) colheu depoimentos importantes da babá do menino, da empregada doméstica e da irmã de Jairinho. 

Publicidade

Em seus respectivos relatos, as testemunhas trouxeram novos desdobramentos e algumas divergências sobre o caso. Nos próximos dias, a avó materna de Henry também deve ser ouvida. Professora em uma escola pública do Rio, ela foi afastada de suas atividades após a babá dizer em depoimento que ela sabia das agressões que a criança era vítima.

Declaração polêmica e silêncio

No último final de semana, o programa “Fantástico”, da TV Globo, exibiu uma curta exclusiva com o avô de Henry. Em conversa por telefone, Seu Fernando disse acreditar na inocência da filha no inquérito que apura a morte do próprio neto.

Publicidade

Ainda na breve conversa, o pai de Monique disse não poder comentar para não intervir nas investigações do caso. E de fato, desde a divulgação desta entrevista, que gerou manifestações nas redes sociais, Seu Fernando não se pronunciou publicamente sobre o assunto.

Publicidade

“Não tenho medo. Olha, coloca aí bem bonitinho que aqui nós não temos medo de nada. Eu acredito que ainda têm dois inocentes, tá? Mas isso ainda pode ser provado e vamos aguardar. Minha filha está presa, tem um monte de irregularidades. Não posso comentar a respeito agora para não atrapalhar a investigação”, disse ele ao Fantástico do último domingo (11).

Publicidade

Câmera encontrada

Em uma nova varredura no apartamento onde Henry morava com a mãe e o padrasto, agentes da Polícia Civil encontraram uma câmera de monitoramento ainda na caixa. O objeto estava no cômodo onde o menino dormia, e chegou a ser citado no depoimento de Monique às autoridades.

A cabeleireira que a atendeu em fevereiro relatou que a professora a questionou onde poderia comprar uma câmera, logo após uma conversa exaltada com Jairinho.

Publicidade