in

No salão, mãe de Henry confrontou Jairinho após agressão: ‘Nunca mais fale que meu filho me atrapalha’

Monique Medeiros teria ligado para o vereador imediatamente aos saber de agressões ao filho.

G1 | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Novos depoimentos colhidos pela Polícia Civil acerca do caso da morte do menino Henry podem mudar o rumo das investigações. Nesta semana, a babá da criança, Thayná Oliveira, foi ouvida novamente. Além da funcionária, a irmã de Jairinho e funcionários do salão que Monique Medeiros frequentava foram ouvidos.

Publicidade

A babá de Henry revelou que no último dia 12 de fevereiro, dia em que Jairo teria agredido o enteado dentro de um quarto, Monique estava em um salão na Barra da Tijuca cuidando dos cabelos e das unhas. Ao perceber um comportamento estranho por parte de Henry, a funcionária fez uma chamada de vídeo para a mãe do menino.

Na ligação, Henry teria dito à mãe que estava machucado e chegou a perguntar se ele atrapalhava sua vida. Tais informações foram passadas por funcionários do salão que presenciaram a conversa entre mãe e filho. De acordo com os profissionais, Monique respondeu ao filho que ele não a atrapalhava de forma alguma.

Publicidade

Dia das agressões

Publicidade

A professora teria ligado para o companheiro imediatamente e confrontado o vereador. “Você nunca mais fale que meu filho me atrapalha, porque ele não me atrapalha em nada”, disse Monique em tom exaltado segundo sua cabeleireira que não quis se identificar. Jairo teria ficado descontrolado ao seu confrontado pela namorada.

Publicidade

De acordo com a cabeleireira, Monique ainda disse que Jairinho poderia quebrar tudo, já que estaria acostumado com isso. As investigações apontaram que o vereador chegou a dizer que mandaria a babá do menino embora, mas foi impedido por Monique. O casal está preso de forma preventiva enquanto aguarda a conclusão do inquérito.

Publicidade
Publicidade
Publicidade