in

Em São Paulo, motoristas de ônibus e cobradores morrem 3 vezes mais por Covid-19

Trabalhadores do transporte coletivo se arriscam diariamente com contato direto com a população.

Foto: Roberto Parizotti/Fotos Públicas

O transporte público em São Paulo está passando por um caos ainda maior por conta da Covid-19. Algumas linhas de ônibus foram desativadas para corte de gastos nas empresas e alguns trens do metrô também estão sem utilização. Isso tudo se soma a estações e terminais lotados de passageiros que não conseguem cumprir o devido distanciamento social.

Publicidade

Os motoristas e cobradores de ônibus se encontram na linha de frente da pandemia, convivendo com a população diariamente com veículos contendo aglomerações e trabalhando por diversas horas, esses trabalhadores sofrem diariamente com o risco de contágio pelo coronavírus. A letalidade por Covid-19 entre essa classe de trabalhadores é três vezes que a média geral de São Paulo.

Motoristas relatam que estão com medo de irem trabalhar, principalmente quando se deparam com terminais lotados e entram diversas pessoas no coletivo. A cidade de São Paulo já registrou cerca de 131 mortes por Covid-19 entre os motoristas de ônibus. A média de óbitos por Covid-19 entre os motoristas beira aos 10%, sendo que a média da capital paulista é de 3,3%. 

Publicidade

O governador João Doria afirmou que não há nenhum problema com o transporte público em São Paulo e que todas as medidas de segurança estão sendo cumpridas. Contudo, um estudo realizado por especialistas demonstrou que nos horários de pico da capital, cerca de nove pessoas ocupam um espaço de um metro quadrado, quando o ideal seria uma pessoa por metro quadrado.

Publicidade

Outro ponto importante que é levantado pelos pesquisadores é o risco de uma maior contaminação por conta do motorista retornar até a sua família após o expediente.  

Publicidade
Publicidade
Publicidade