in

Urgente: STF finaliza votações e decide se anula as condenações de Lula, tornando-o ou não elegível em 2022

Por 8 votos a 2, maioria do STF toma decisão sobre destino de Lula. Julgamento será retomado no próximo dia 22.

Reprodução: Veja - Fotomontagem por Vieira Filho

Nesta quinta-feira (15), o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou o recurso que anulava as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Publicidade

Na ocasião, o STF formou maioria pela rejeição do recurso emitido pela Procuradoria Geral da República (PGR) que anulava as condenações de Lula relacionadas à Operação Lava Jato.

Com a decisão dos ministros, a rejeição do recurso da PGR fica mantida, juntamente com a anulação das condenações do ex-presidente, o que torna Lula elegível na próxima eleição presidencial, que ocorrerá no final do ano de 2022.

Publicidade

Votos

Ao lado dos ministros que votaram que rejeição do recurso da PGR encontram-se Fachin, Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso. Já no lado oposto, os ministros que votaram pela continuidade das condenações, sendo eles: Nunes Marques, Marco Aurélio Mello e Luiz Fux.

Publicidade

O ministro responsável por anular as condenações de Lula foi Edson Fachin que, ao votar nesta quinta-feira, voltou a defender que os processos de Lula não estavam ligados apenas ao esquema da Petrobrás, ressaltando que a conduta relacionada a Lula “não era restrita à Petrobras, mas à extensa gama de órgãos públicos em que era possível o alcance dos objetivos políticos e financeiros espúrios”.

Publicidade

Parcialidade de Moro

No próximo dia 22, acontece a continuidade do julgamento, que, desta vez, envolverá o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, considerado, pelos ministros do STF, parcial em sua tomada de decisões que condenou o ex-presidente.

Publicidade
Publicidade