in

Na fase vermelha da quarentena, São Paulo pode sofrer com greve do metrô

Sindicato já decidiu que irá paralisar atividades para cobrar melhores medidas contra a pandemia.

Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

O transporte coletivo de São Paulo está um caos ainda maior devido à pandemia causada pela Covid-19. Os terminais e estações se encontram lotados, não há distanciamento social e também não é oferecido álcool em gel para os passageiros. Alguns trabalhadores dependem exclusivamente do transporte público para se deslocarem até seus empregos e o risco de contaminação por Covid-19 é bastante elevado.

Publicidade

Para tentar amenizar a situação e conseguirem melhores condições e trabalho, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo anunciou que irá realizar uma greve na próxima terça-feira (20) como forma de protesto pelas mortes e contaminações de trabalhadores do segmento. De acordo com o sindicato a greve é inteiramente por conta de uma questão sanitária.

Uma das requisições dos metroviários é a vacinação urgente da classe trabalhadora do transporte público. Os trabalhadores também pedem que seja realizado um lockdown na capital paulista, além do pagamento de um auxílio financeiro de 600 reais. O Sindicato dos Metroviários informou que até o momento houve 24 mortes e 1147 afastamentos por conta da Covid-19. Outra pedida do movimento é a correta aplicação do plano contra a disseminação da doença.

Publicidade

Para a categoria o governador de São Paulo, João Dória e o prefeito da capital, Bruno Covas, não se mostraram suficientes em aplicar os planos contra a Covid-19. “O problema é que [trata-se de] uma reação em cadeia. Você não faz o lockdown, não consegue restringir o transporte. E para fazer o lockdown, tem que garantir às pessoas que fiquem em casa sem passar fome, tem que garantir às indústrias que deixem os trabalhadores em casa e continuem pagando os seus salários“, declarou Wagner Fajardo, coordenador do Sindicato dos Metroviários.

Publicidade

As autoridades entraram em negociação com a classe trabalhadora para evitar que essa paralisação ocorra.

Publicidade
Publicidade