in

Remédio contra a Covid-19 chega na fase final de testes e se demonstra seguro

O medicamento poderá ser utilizado por aqueles que não estão hospitalizados por conta da Covid-19.

Divulgação

Nesta quinta-feira (15), as farmacêuticas Merck e a Ridgeback Biotherapeutics anunciaram o avanço nas pesquisas com um medicamento antiviral que poderá ser utilizado em paciente que contraíam a Covid-19, entretanto, o remédio deverá ser utilizado somente naqueles que não se encontram hospitalizados ou em estado grave. As farmacêuticas pretendem pedir o uso emergencial do antiviral nesse segundo semestre nos Estados Unidos. 

Publicidade

O nome do medicamento é molnupiravir e as empresas comunicaram que iram começar a recrutar voluntários para os testes entre o final de abril e o início de maio. Após a realização dos testes os resultados serão informados entre os meses de setembro e outubro. O antiviral se mostrou promissor nos tratamentos iniciais.

Os testes realizados anteriormente com o molnupiravir demonstrou que os pacientes que receberam o medicamento após serem contaminados pela Covid-19 demonstraram uma menor chance de desenvolver a fase grave da doença e de virem a óbito.

Publicidade

As farmacêuticas também conduziram um teste em pacientes que se encontravam internados nos hospitais, contudo, preferiram por abandonar, pois o medicamento não iria surtir efeito em pacientes com sintomas mais duráveis.

Publicidade

Caso a droga seja aprovada a sua utilização se dará logo no momento em que surgir os primeiros sintomas da doença ou logo após o diagnóstico por exame. O principal objetivo do antiviral é evitar o agravamento da doença. As farmacêuticas informaram que o medicamento é seguro e não houve nenhum evento que levou a descontinuação da aplicação do molnupiravir em pacientes.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade