in

‘Mãe, vem pra casa’, pediu Henry em videochamada, após agressão, enquanto Monique estava em salão de beleza

O garoto aos prantos ainda perguntou para Monique se ele atrapalhava a vida da mãe.

Reprodução/Instagram

A pedagoga Monique Medeiros lavava, escovava e hidratava o cabelo além de fazer a manutenção da sua unha de acrigel e embelezar os pés e as mãos quando seu filho Henry Borel, de 4 anos, contava durante uma videochamada, que o vereador o Dr. Jairinho o havia agredido.

Publicidade

Quem confirma a história é uma das profissionais do salão de beleza que Monique Medeiros frequentava. Ela afirma que Henry chorando perguntou se ele atrapalhava a vida dela e terminou a ligação pedindo para que a mãe fosse embora para casa. Há relatos de que Monique voltou para casa somente três horas depois do pedido do garoto.

Ainda no salão de beleza, Monique teria ligado para o vereador, discutindo aos berros por conta do seu comportamento com o menino. Tanto Monique quanto Jairinho estão detidos acusados de envolvimento na morte da criança. 

Publicidade

Publicidade

Veja também: Babá de Henry fala pela primeira vez na televisão e detalha o que via na casa de Jairinho e Monique

No depoimento que a cabeleireira prestou na 16ª DP (Barra da Tijuca) na última quarta-feira (14/04) ela disse que ao chegar para atender Monique na tarde do dia 12 de fevereiro, a cliente estava em uma chamada de vídeo com um garoto, que lhe perguntou: ‘Mamãe, eu te atrapalho?‘. O menino reforçou a pergunta dizendo: ‘Mamãe, o tio disse que eu te atrapalho’. Segundo a cabeleireira, Monique teria respondido que não, de forma alguma, e o menino, chorando lhe disse: ‘Mamãe, vem pra casa‘ e ‘O tio bateu‘.

Publicidade

Monique e Jairinho estão presos desde a última quinta-feira (08/04) após a polícia ter recuperado mensagens que foram apagadas do celular da mãe de Henry. O conteúdo prova que a mãe sabia que o garoto era agredido pelo padrasto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com