in

Machucado, Henry fez ligação de vídeo para mãe e perguntou ‘se ele atrapalhava a vida dela’, aponta jornal

Henry Borel morreu na madrugada do dia 8 de março, e caso ainda segue sob apuração da Polícia Civil.

ARQUIVO PESSOAL MONIQUE MEDEIROS / REPRODUÇÃO RECORD TV

As investigações do caso de morte do menino Henry Borel de Almeida, de 4 anos, estão se afunilando. Nesta quarta-feira (14), o delegado responsável pelo caso, Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca) colheu depoimentos importantes de funcionários do salão de beleza que a mãe do garoto, Monique Medeiros, frequentava. 

Publicidade

No depoimento, eles contaram que presenciaram uma ligação de vídeo entre Henry e a mãe. Na conversa, o menino dizia que estava machucado e dor, e ainda chegou a questionar para Monique “se ele atrapalhava a vida dela”. As informações dos depoimentos foram obtidas de forma exclusiva pelo “Jornal da Noite”, da TV Bandeirantes. 

Os funcionários do salão ainda confirmaram que Monique foi ao salão um dia após a morte do menino. Na oportunidade, ela fez cabelo e unha, gastando R$ 240. 

Publicidade

Publicidade

Veja também: Babá de Henry fala pela primeira vez na televisão e detalha o que via na casa de Jairinho e Monique

Outros depoimentos

Além dos funcionários do salão de beleza, a Polícia Civil também ouviu a irmã de Jairinho, Thalita Santos, citada 21 vezes no depoimento da babá de Henry, concedido na última segunda (12), e também a empregada doméstica Leila Rosângela de Souza, que foi a primeira pessoa a entrar no apartamento após a morte de Henry e limpar o local. 

Publicidade

Segundo a babá Thayná de Oliveira, a doméstica mentiu em seu primeiro depoimento, e sabia das agressões cometidas contra o menino Henry.

No seu relato que durou cerca de 3 horas, Rosângela disse não ter presenciado agressões, mas admitiu ter visto Henry deixar o quarto onde estava com Jairinho apresentando uma “cara de apavorado”, no dia 12 de fevereiro, data em que a babá relatou à Monique as supostas agressões que o menino de 4 anos tinha sido vítima. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade