in

Caso Henry: autoridades apuram supostas regalias de Monique e Jairinho na prisão

A Seap irá investigar as denúncias de supostas regalias obtidas por Monique e Jairinho quando chegaram à prisão.

G1

A Seap (Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro) abriu investigação interna para apurar os detalhes a cerca de possíveis regalias para Monique e Dr. Jairinho, suspeitos da morte do menino Henry Borel, quando entraram no sistema prisional do estado.

Publicidade

Segundo o informado pela Seap, o diretor do Presídio Frederico Marques, em Benfica, Zona Norte do Rio, pediu para ser substituído após discordar das denúncias de privilégios. Ainda de acordo com a secretaria, imagens foram enviadas ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), que irá apurar a denúncia.

Na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), corre um requerimento em caráter de urgência que pode vir a tirar de Jairinho e Monique o direito a visita íntima. De acordo com o proposto pelo projeto, presos por cometer crimes de homicídio qualificado, tortura, estupro, pedofilia e morte de agente de segurança devem perder o direito ao benefício.

Publicidade

De acordo com a Polícia Civil, Monique e Jairinho deverão ser indiciados pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e tortura.

Publicidade

Já na Câmara dos Deputados, outro projeto de lei pretende aumentar a pena em um terço ou metade caso o crime atente contra um descendente ou filho do cônjuge ou companheiro (a).

Publicidade

Irmã de Jairinho é intimada a depor

A irmã de Jairinho, Thalita, foi intimada a prestar esclarecimentos nesta quarta-feira (14), após Thayná, a babá do menino Henry, mudar seu depoimento e citar o nome da irmã do vereador. 

Em seu novo depoimento, a babá afirmou que, em um encontro solicitado por Thalita, Monique a teria coagido a mentir sobre o que viu e ouviu na residência do casal desde que começou a trabalhar lá. Além disso, a irmã de Jairinho teria lhe dito para não ser juíza do caso do seu irmão, aconselhando Thayná a mentir durante os esclarecimentos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.