in

Bolsonaro espera ‘sinalização do povo’ para tomar providências

O presidente Jair Bolsonaro disse que espera a sinalização do povo para tomar providências a respeito das consequências causadas pela pandemia.

Foto: PR/Marcos Corrêa

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (14), que aguarda um “sinal do povo” para agir sobre as consequências econômicas causadas pela pandemia da Covid-19, incluindo o aumento da fome e do sofrimento.

Publicidade

Falando da atuação do Supremo Tribunal Federal, Bolsonaro disse que não queria brigar com ninguém, mas, segundo ele, “estamos prestes a ter sérios problemas no Brasil”.

Bolsonaro disse que o Brasil atingiu seu limite e que as pessoas dizem que ele deve agir. O presidente espera que as pessoas sinalizem porque existe fome, dor e desemprego e não ver quem não quer. A fala de presidente durante encontro com apoiadores na saída ao Palácio da Alvorada, esta manhã.

Publicidade

Em um diálogo com seus apoiadores, Bolsonaro disse que “algumas pessoas” pediram uma ação imediata e enfatizou que ele fará “o que todos quiser” que ele faça.

Publicidade

Ele também garante aos Amigos do Supremo Tribunal Federal,  que em breve o Brasil terá uma grande crise. Segundo ele, viu um ministro enviar um caso para leva-lo o julgamento por genocídio. E faz crítica aos governadores ao dizer que quem fechou tudo e está com o controle da política na mão não é ele. “Agora, não quero brigar com ninguém”, diz o presidente que diz estar prestes a ter um problema sério no Brasil”.

Publicidade

Bolsonaro acredita que ainda há tempo para mudar. Basta parar, usar menos caneta e mais o coração”, disse.

Na terça-feira (13), a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia pediu ao presidente do Tribunal de Justiça Luiz Fux que se pronunciasse sobre a notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por suspeita de genocídio contra a população indígena durante a pandemia do coronavírus.

Na semana passada, o ministro Luís Roberto Barroso ordenou ao Senado que criasse uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o papel do governo federal na pandemia. Na terça-feira (13), o Senado leu o pedido de abertura da CPI, que também irá investigar a utilização de verbas federais repassadas a entes federais para lidar com o novo coronavírus. Na tarde desta quarta-feira (14), o plenário do Supremo Tribunal Federal decide se aprova ou não a decisão de Barroso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Thiago Borges

Olá, sou Thiago Borges.