in

Babá afirmou que Monique demorou a chegar no dia das agressões a Henry e reclamou que havia borrado as unhas

Em novo depoimento, Thayná Oliveira disse à polícia que mentiu sobre a família a pedido de Monique.

G1 | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Na última segunda-feira (12), a babá Thayná Oliveira, responsável por cuidar do menino Henry, prestou um novo depoimento sobre a morte do menino. Anteriormente, a babá disse à polícia que nunca havia presenciado violência dentro da casa onde trabalhava, e que os patrões, Monique Medeiros e Jairo Souza, viviam de forma amistosa.

Publicidade

Porém, a polícia recuperou mensagens apagadas do celular de Monique e teve acesso às conversas em que a babá de Henry alertava a mãe do menino sobre agressões recebidas por parte do padrasto. Tendo em vista a contradição, Thayná foi intimada a depor novamente.

No novo depoimento, a funcionária confessou que mentiu a pedido de Monique, e afirmou que já tinha narrado episódios de agressões de Jairinho mais de uma vez. Thayná garantiu que Monique sabia o que estava acontecendo com o filho, e que, inclusive, o próprio menino contou à mãe sobre as agressões no último dia 12 de fevereiro.

Publicidade

A babá teria feito uma chamada de vídeo para que Monique visse o filho. O menino chegou a pedir para que a mãe voltasse logo para casa. Ainda assim, de acordo com Thayná, Monique demorou cerca de 3 horas para retornar porque estava fazendo o cabelo e as unhas em um salão de beleza.

Publicidade

Segundo a babá, Monique chegou por volta das 19h e reclamou de ter borrado as unhas por ter retornado depressa. A mãe de Henry teria perguntado novamente sobre as supostas agressões de Jairinho, que foram confirmadas pela babá. Thayná também teria relatado o episódio à avó materna do menino, que se assustou com os fatos na ocasião.

Publicidade

Publicidade