in

Babá diz que Henry contou sobre agressões à Monique e foi confrontado por Jairinho: ‘Mentiu para a sua mãe?’

Thayná de Oliveira teria omitido à polícia que o menino sofreu agressões cerca de um mês antes de sua morte.

G1 | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Na última segunda-feira (12), o caso sobre a morte do menino Henry ganhou um novo desdobramento. A babá da criança, Thayná de Oliveira, teria mentido para a polícia em seu primeiro depoimento, afirmando que a família vivia em harmonia e que Henry não reclamava da mãe e do padrasto. Dias após o depoimento, a polícia descobriu que a realidade não era essa.

Publicidade

De acordo com as investigações, a polícia teve acesso às mensagens apagadas do celular de Monique Medeiros, mãe do menino. Nos registros, a babá contou à mãe que Jairo, padrasto do menino, teria se trancado no quarto com a criança no último dia 12 de fevereiro.

Na conversa, Thayná afirma que Henry saiu do quarto bastante assustado, mancando e reclamando de dores na cabeça. Nem Monique Medeiros, nem a babá do menino, relataram o fato à polícia em seus depoimentos. Por esta razão, Thayná foi intimada a depor novamente na última segunda-feira (12).

Publicidade

Em um longo depoimento, a babá revelou que Monique Medeiros sabia das agressões e que Henry já havia feito várias chamadas de vídeo para contar os episódios à mãe. A funcionária disse, ainda, que Monique pedia para que ela apagasse as conversas para que Jairinho não soubesse que o menino havia contado sobre seu comportamento.

Publicidade

Thayná afirmou que logo após a conversa, o vereador chegou ao apartamento e confrontou Henry. “Você gosta de ver sua mãe triste com o tio? Você mentiu para a sua mãe?”, teria dito o parlamentar. Questionada pela polícia acerca do motivo de ter mentido no primeiro depoimento, a babá afirmou que teve medo devido ao comportamento do patrão com uma criança. Monique e Jairo seguem presos preventivamente.

Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade