in

Caso Henry: babá faz grave acusação contra irmã de Jairinho em novo depoimento à polícia

Babá tinha conhecimento das agressões praticadas contra o menino prestou novo depoimento.

G1 - R7 - Montagem

Após omitir algumas informações no seu primeiro depoimento à polícia, a babá do menino Henry, morto no dia 8 de março, no apartamento onde morava com a mãe e o padrasto, trouxe revelações impactantes sobre o caso que chocou o país. Além de confirmar que Monique pediu a ela que mentisse no seu relato às autoridades, a jovem Thayná de Oliveira citou envolvimento da irmã de Dr. Jairinho na combinação de versões. 

Publicidade

Diferentemente do primeiro depoimento, onde citou não ter observado nenhum tipo de anormalidade na relação do casal para com o menino Henry, a babá confirmou a veracidade das conversas com Monique pelo celular, onde denunciava em tempo real as agressões que o garoto recebia do parlamentar.

Ação da família

Segundo a babá, logo após o caso ganhar ampla repercussão nacional, ela foi coagida pela irmã de Jairinho, na casa do pai do parlamentar, o ex-deputado Coronel Jairo. As informações são da BandNews FM.

Publicidade

O jornal “A Folha de S. Paulo” aponta que Thayná e a empregada doméstica Leila Rosângela, de 57 anos, tiveram um encontro com o advogado de defesa do casal, André França Barreto. A irmã de Jairinho teria intermediado o encontro.

Publicidade

Em pronunciamento, o advogado disse que apenas orientou as testemunhas a dizerem a verdade presenciada, de forma ética e legal, citando ainda que não há evidências de que os depoimentos foram influenciados. Apesar deste posicionamento, a divulgação das conversas entre Monique e Thayná, obtidas por intermédio da ação de um software, evidenciou omissões da babá. 

Publicidade

No dia 13 de fevereiro, um dia após ser agredido pelo padrasto, e toda a ação ser denunciada pela babá à mãe, Henry foi levado para o mesmo hospital onde menos de um mês depois retornaria já sem vida. Na ocasião, Monique disse à equipe médica que o filho havia “caído da cama”, mesma versão apresentada na madrugada da morte da criança. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade