in

Após ser levada às pressas ao hospital, Monique descobre doença que a deixaria internada, mas retorna à prisão

Mãe de Henry foi levada à unidade de saúde da penitenciária onde está detida, mas já recebeu alta.

Reprodução: i7 News / g1 / O Globo - Fotomontagem por Vieira Filho

Na madrugada desta segunda-feira (12), a professora Monique Medeiros, de 32 anos, mãe de Henry Borel, foi levada ao Hospital Penal Amilton Agostinho após sentir fortes dores na barriga.

Publicidade

Após a realização de exames laboratoriais, Monique foi diagnosticada com um quadro de infecção urinária que, supostamente, a deixaria internada por 3 dias.

No entanto, oito horas após dar entrada na unidade de saúde do presídio onde está detida, Monique recebeu alta e voltou à penitenciária de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Publicidade

Investigações de Monique e Jairinho

Monique Medeiros é investigada por um possível envolvimento na morte de seu filho Henry, de apenas 4 anos de idade, que chegou morto a um hospital particular na Barra da Tijuca no dia 8 de março.

Publicidade

Na ocasião, Monique e seu namorado, Jairo Souza Santos Júnior, mais conhecido como Dr. Jairinho, chegaram com a criança na unidade de saúde já sem vida alegando apenas que Henry se queixava de dificuldade respiratória antes de sua morte.

Publicidade

Entretanto, um laudo divulgado pelo Instituto Médico Legal (IML), revelava lesões em diversos órgãos do corpo do garoto, como fígado, rins e crânio, o que levantou a suspeita de uma possível morte por violência.

Prisão do casal

O casal foi, assim, preso no último dia 8 sob acusações de atrapalharem as investigações e ameaçarem testemunhas do caso. Monique e Jairinho foram encontrados na casa de uma tia do médico e estão cumprindo o mandato de prisão em celas isoladas, como ficarão por 14 dias devido à pandemia da Covid-19. O casal só pode receber visitas dos seus advogados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade