in

Henry chegou a desejar que a mãe ‘fosse pro céu’ para poder morar com os avós; conversa reveladora é exposta

Em relato à prima, Monique Medeiros falou a respeito do comportamento do filho.

UOL

A morte do menino Henry Borel, de 4 anos, continua comovendo o Brasil e ganhando repercussão na mídia. Em meio às investigações do caso, novos prints com conversa reveladora entre Monique Medeiros e uma prima foram expostos pelo Extra e trouxe à tona o comportamento do menino nos últimos dias antes de sua morte.

Publicidade

Em troca de mensagem com a parente que é formada em pediatria, Monique detalhou como Henry vinha se sentindo e chegou a dizer que o menino estava apresentando a vontade de não mais morar com ela e Jairinho.

“Disse até que queria que eu fosse pro céu pra morar com meus pais”, escreveu Monique em trecho de mensagem trocada com a prima. A mãe de Henry ainda detalhou que o filho estava com medo em excesso e sofria ao imaginar que poderia perder os avós.

Publicidade

Monique contou que o filho estava apresentando baixo rendimento na escola, não estava se relacionando bem com os familiares e outras pessoas a sua volta. Com Jairinho, a relação era ainda pior, conforme relatou Monique na troca de mensagem com a prima.

Publicidade

Segundo Monique, Henry não olhava no rosto de Jairinho e chegava a vomitar e tremer na presença do padrasto. “Se recusa a ficar sozinho, não tem apetite, está sempre prostrado, olhando para baixo, noites inquietas com muitos pesadelos e acordando o tempo inteiro. Chora o dia todo”, disse Monique, contando à prima que havia levado o menino em uma psicóloga.

Publicidade

Por fim, a mãe de Henry pediu conselho sobre levar ou não a criança em um neurologista e psiquiatra. De pronto, a prima pediatra disse que não seria necessário o auxílio de tais médicos.

Publicidade
Publicidade