in

Versamune: vacina brasileira contra a Covid-19 pode criar memória imunológica por 12 anos

O imunizante vai passar por testes em humanos, que vão mostrar mais detalhes sobre o nível de proteção.

R7

A Covid-19 tem feito milhares de vítimas fatais no mundo inteiro. Infelizmente, ainda não existe um medicamento capaz de combater o vírus e a grande esperança é a vacina que tem sido usada em vários países. Os pesquisadores do Brasil buscam produzir um imunizante contra o coronavírus que seja 100% nacional.

Publicidade

Certamente, isso vai ajudar a reduzir os custos e dar mais agilidade na vacinação em massa da população. A FMRP – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, conseguiu desenvolver a Versamune, que foi feita em parceria com a Farmacore Biotecnologia e a PDS Biotechnology. O consórcio já solicitou o pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa para dar início aos testes clínicos em humanos e está aguardando uma resposta da agência.

Já é possível constatar que os testes realizados em animais foram promissores. Os testes pré-clínicos demonstraram que o imunizante não provocou nenhum dano aos animais. Segundo a CEO da Farmacore, Helena Faccioli, a vacina é segura e não causou nenhum tipo de efeito tóxico nos bichinhos.

Publicidade

A expectativa da resposta imunológica da Versamune foi celebrada pelo fato dos estudos apontarem a possibilidade da memória imunológica da célula T durar aproximadamente 12 anos. A vacina foi desenvolvida pela junção de uma réplica da proteína S1, que é um pedaço da proteína sipke, parte do SARS-CoV-2 que é responsável pela entrada do vírus na célula humana, com uma nanopartícula.

Publicidade

A combinação é injetada dentro do organismo do indivíduo e o intuito é que o sistema imune produza anticorpos contra esse pedaço da Covid e faça o bloqueio da instalação dele na célula. “Ao contrário das tecnologias de vírus e adjuvantes, essa vacina gera uma resposta imune muito específica, direcionada e poderosa, com capacidade de gerar memória imunológica no organismo e prevenir futuras reinfecções”, explica Helena Faccioli.

Publicidade

Assim como outras vacinas já disponíveis atualmente, a Versamune mostrou a necessidade de duas doses, com um intervalo de 21 dias, para que o imunizante seja eficiente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade