in

Vídeo: padre perde a linha ao criticar veto a missas presenciais; ‘Bando de esquerdistas vagabundos’

O padre politizou a pandemia afirmando que a esquerda vai acabar com as igrejas do país.

Reprodução/Youtube

O veto a celebrações religiosas imposto pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), que faz parte de um pacote de medidas restritivas para coibir a disseminação do coronavírus no pior momento desde que a pandemia se iniciou, acabou virando o tema da pregação do padre Oscar Donizete Clemente durante uma missa transmitida ao vivo no Youtube.

Publicidade

Era véspera da Páscoa e, naquele momento, havia a expectativa de que Supremo Tribunal Federal (STF) liberasse os cultos e missas no país, o que não acabou acontecendo. Devido à gravidade em que a pandemia se encontra, o plenário do tribunal acabou referendando os decretos de governadores e prefeitos que proibiram a presença de fiéis nos templos, temporariamente. 

O padre de São José do Rio Preto, irritado com a Paróquia Imaculado Coração de Maria totalmente vazia na celebração da missa, disparou críticas ao governador João Doria e atribuiu as restrições ao “Partido Comunista Chinês”, que governa o país asiático desde 1949, quando promoveu a revolução comunista do outro lado do mundo. 

Publicidade

Em seu sermão, o padre Oscar Donizete politizou a pandemia e chamou o governador João Dória de “imundície”, além de afirmar que os adeptos da ideologia “esquerdista” são “vagabundos” que querem transformar o Brasil em mais um país comunista e que irão acabar com as igrejas em um prazo de dez anos. 

Publicidade

O padre repetiu as falas de grupos de extrema-direita pedindo para que as pessoas de esquerda se mudem para Cuba ou Venezuela. No país sul-americano que vive sob o comando de Nicolás Maduro, Oscar Donizete afirmou que pessoas estão sendo obrigados a comer folhas da Bíblia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com