in

Vídeo mostra condições precárias da cela onde mãe de Henry está presa; ela dorme em colchonete

A professora irá ficar, no mínimo, trinta dias presa no Instituto Penal de Niterói.

G1

Monique Medeiros e Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, estão presos. As investigações apontaram o vereador como principal suspeito pela morte de Henry Borel, de quatro anos. O menino foi levado para o hospital Vila D’or, na madrugada do dia 8 de março de 2021, onde a equipe médica declarou seu óbito.

Publicidade

Diante das provas recolhidas pela polícia do Rio de Janeiro, a Justiça acusa Monique e o namorado pelo crime de homicídio duplamente qualificado com tortura, considerando as marcas de agressão encontradas no corpo de Henry.

Monique, de acordo com mensagens encontradas pela polícia em um aparelho celular, sabia que o filho estava sendo agredido pelo namorado. Ela foi levada para o Instituto Penal Ismael Sirieiro, que fica em Niterói.

Publicidade

Nesta sexta-feira (09/04), o G1 teve acesso a um vídeo que mostra a cela em que Monique está. O local, sem nenhuma regalia, tem somente seis metros quadrados, conta com uma pia pequena, um beliche forrado com colchonetes , chuveiro de água fria e também um vaso sanitário.

Publicidade

A mãe de Henry morava com o filho e o companheiro em um condomínio de luxo chamado Majestic, nas proximidades da Barra da Tijuca, e tinha empregados. Agora, a decisão judicial exige que ela fique, pelo menos, trinta dias na cela do presídio.

Publicidade

Monique irá ficar no mínimo 14 dias isolada das outras detentas, o que é lei para novos presos por causa da pandemia do coronavírus. Após esse período, é estimado que a professora continue afastada das colegas de prisão, que não a receberam bem durante sua detenção na última quinta-feira.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.