in

Promotor diz se Monique foi dopada por Jairinho na hora do crime e aponta pressa em se livrar do corpo

Para Marcos Kac, não há a mínima possibilidade da mãe de Henry ter sido dopada naquela noite.

UOL

O promotor de Justiça Marcos Kac, que cuida do Caso Henry no Ministério Público do Rio de Janeiro, descartou completamente a possibilidade de Monique Medeiros, mãe do garoto, ter sido dopada por Dr. Jairinho no dia da morte da criança.

Publicidade

A chance disso ter acontecido foi levantada após uma mulher relatar que presenciou uma ex-namorada do vereador acordar com a sensação de ter sido dopada por ele. Na ocasião, a ex-namorada levantou e flagrou Jairinho dando banho em um dos seus filhos. A testemunha disse a polícia que as crianças sempre apareciam com manchas roxas nos braços e nas pernas. 

Kac afastou a hipótese por conta de tudo que aconteceu após a morte de Henry. Uma pessoa dopada não teria condições de carregar o filho no colo até o hospital e muito menos de prestar todos os depoimentos após os médicos confirmarem que o garoto morreu. 

Publicidade

O promotor lembrou ainda que o casal demonstrou interesse em se livrar logo do corpo da criança. Dr. Jairinho tentou junto ao governador do Estado do Rio de janeiro e também com um alto executivo da área da saúde agilizar o atestado de óbito de Henry, sem que o corpo passasse pela averiguação do IML. Os pedidos do vereador foram negados e o casal não pôde fazer um enterro rápido como queriam. 

Publicidade

Marcos Kac ainda afirmou que as investigações levarão apenas mais uns 15 dias para serem concluídas e que não acredita que as provas que o Ministério Público já têm em mãos foram conseguidas de forma ilegal, como aponta a defesa do casal preso na manhã da última quinta-feira (08/04).

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com