in

Caso Henry: Dr. Jairinho diz se matou menino em depoimento e cita sentimento de ‘vingança’ de ex

Parlamentar teve a sua expulsão do partido horas após ser preso por agentes da Polícia Civil.

O Globo

Detido na última quinta-feira (08), sob acusação de ter matado o enteado Henry Borel, de 4 anos, o médico e vereador Dr. Jairinho, deu novo depoimento ao delegado Adriano Marcelo Firmo França, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). Segundo o parlamentar, as acusações feitas por uma de suas ex-namorados foram por motivo de vingança. 

Publicidade

Em depoimento à polícia, a ex-namorada de Jairinho, disse que ele dava mocas (cascudos) na cabeça, e torcia as pernas e braços de sua filha, que na época tinha apenas 3 anos. A testemunha ainda acusou o vereador de ter afundado a cabeça da criança em uma piscina. 

Versão sobre a morte de Henry

Preso por agentes da Polícia Civil, Jairinho foi levado junto com a companheira Monique Medeiros, mãe de Henry, para prestar novo depoimento. No local, o parlamentar negou veementemente as acusações de agressões contra o garoto. Tanto ele como Monique continuaram sustentando a versão de acidente doméstico para a morte do enteado.

Publicidade

Também negou

No depoimento à Firmo França, na DCAV, Jairinho disse que não foi autor das agressões contra a ex-namorada e à filha dela, pontuando ainda que a mulher passou a enviar mensagens para a atual mulher dele e para ex-esposa. 

Publicidade

O parlamentar disse que a intenção das mensagens era “gerar instabilidade em seu casamento”. Durante o namoro com esta testemunha, Jairinho era casado com Ana Carolina Ferreira Netto, mãe de dois dos seus filhos. O vereador disse que o relacionamento tinha “finalidade sexual”, e que a jovem insistia que ele se separasse da esposa. 

Publicidade

Publicidade
Publicidade