in

Pai de Henry chora ao saber de prisão de Monique e Jairinho: ‘Meu filhinho deve ter sofrido muito’

Engenheiro deixou o filho com a ex-esposa no dia 7 de março, horas depois o garoto foi levado ao hospital sem vida.

Reprodução - G1 - VEJA

Uma ação da Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpriu dois mandados de prisão para a mãe do menino Henry Borel, de 4 anos, Monique Medeiros, e o atual companheiro dela, o vereador Dr. Jairinho. O casal, principal suspeito na morte da criança, foi detido suspeitos de atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas para elas prestarem depoimentos “moldados” pela defesa. 

Publicidade

Acompanhando o caso de perto desde o início, o pai de Henry, o engenheiro Leniel Borel se mostrou bastante abalado ao ser comprovado as suas suspeitas de envolvimento direto de Jairinho e a da ex-esposa na morte do filho. 

Responsável pela defesa do engenheiro, o advogado Leonardo Barreto disse em rápido contato com o UOL que o cliente estava chorando bastante após as novas revelações virem à tona. 

Publicidade

“O Leniel não tem condições de falar, está chorando bastante. Daqui a pouco, a gente vai se pronunciar”, afirmou Barreto.

Publicidade

Desabafo

De acordo com o telejornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, após a prisão da ex-esposa e do parlamentar, Leniel teria desabafado.

Publicidade

“Meu filhinho deve ter sofrido muito”, disse o pai da vítima, fazendo menção ao laudo da necropsia, que apontou diversas lesões no corpo da criança, provocadas por ações contundentes, resultando em hemorragia interna e laceração hepática. 

Em entrevista recente à RecordTV, Leniel disse que nunca acreditou na versão de acidente doméstico sustentada por Monique Medeiros e Jairinho. “Como falar em acidente em uma cama? Algo tão agressivo”, questionou o pai do menino.

Além do cumprimento dos dois mandados de prisão de Monique e Jairinho, a Polícia Civil também cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa da babá de Henry. Segundo os investigadores, a mulher sabia que o garoto era vítima de agressões do parlamentar, e mentiu no depoimento prestado na 16ª DP.

Publicidade
Publicidade
Publicidade