in

Dr. Jairinho e Monique são presos: tortura contra Henry é revelada e vereador é afastado da Câmara

Após investigações, Dr. Jairinho e Monique Medeiros foram presos preventivamente na manhã desta quinta-feira (8).

Reprodução/G1/GloboNews

A Polícia Civil do Rio de Janeiro, que prendeu o vereador Dr. Jairinho e Monique Medeiros na manhã desta quinta-feira (8), revelou mais detalhes sobre o chocante caso da morte do menino Henry Borel, de quatro anos. A prisão foi preventiva, então tem duração de 30 dias.

Publicidade

Segundo informações da própria Polícia, divulgadas pelo portal G1, o vereador teria praticado pelo menos uma sessão de tortura contra o menino Henry semanas antes da morte da criança.

As investigações ainda dão conta de que Monique sabia das agressões e que Jairinho chegou a se trancar no quarto para agredir a criança. A suspeita atual é de que o menino passava por sessões de agressões com direito a chutes e golpes na cabeça; a mãe sabia de tudo. 

Publicidade

O laudo de autópsia mostra que a criança sofreu hematomas múltiplos no abdômen e membros superiores, além de infiltração hemorrágica na cabeça. Ele ainda apresentou contusão no rim e trauma com contusão pulmonar.

Publicidade

Jairinho e Monique foram presos

A prisão do casal aconteceu na casa de parentes de Monique, em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Os dois estariam atrapalhando as investigações e ainda teriam feito ameaças às testemunhas.

Publicidade

Em 12 de fevereiro, Monique descobriu que Jairinho estava no apartamento, trancado com Henry no quarto. Os policiais descobriram que ela estranhou o fato dele ter chegado em casa antes do horário habitual.

Salão de beleza após o enterro do filho

As investigações ainda revelam que um dia após o enterro de Henry, Monique passou a tarde no salão de beleza. Ela chegou a ser atendida por três profissionais e pagou um valor de R$ 240 após cuidar dos pés, mãos e cabelo.

A causa da morte do pequeno Henry foi “hemorragia interna e laceração hepática [danos no fígado] causada por uma ação contundente [violenta]”.

Foram ouvidas 18 testemunhas e foram reunidas provas que descartam a possibilidade de um acidente, hipótese essa levantada por Monique.

Vereador é afastado da Câmara do Rio

O Conselho de Ética discutirá na tarde desta quinta-feira (8) às 18h, a situação de Dr. Jairinho, que é vereador. Ele foi preso preventivamente e foi automaticamente afastado da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro.

O regimento interno da Casa dá conta de que se ele ficar preso por mais de 120 dias, um suplente tomará o mandato. A membro do Conselho, Teresa Bergher, defende afastamento imediato por respeito à criança e para que as investigações possam continuar.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Matheus Feitosa

Escrevo sobre TV, famosos e entretenimento desde 2011.

A atenção nos detalhes é o que nos faz prosperar.