in

Celular usado por Henry é apreendido pela polícia; mãe escondeu aparelho e acessava dados do pai da vítima

Informações contidas no aparelho usado pela criança podem gerar uma reviravolta no caso.

Instagram | Henry Borel Medeiros | Imagem Ilustrativa

O caso da morte do menino Henry Borel segue ganhando novos desdobramentos. Nas últimas semanas, a polícia do Rio de Janeiro segue realizando diversas diligências sobre a morte do menino, e chegou a apreender mais de 10 aparelhos celulares de pessoas envolvidas com a criança. Os celulares da mãe e do padrasto de Henry já haviam sido levados pela polícia.

Publicidade

De acordo com o site R7, um novo celular foi encontrado e pode gerar uma reviravolta no caso. Um aparelho que seria utilizado por Henry também foi apreendido. Segundo as investigações, Monique Medeiros teria escondido o celular durante uma diligência anterior.

A mãe do menino estaria usando o aparelho para acessar dados pessoais do ex-marido e pai de Henry, Leniel Borel. Monique teria acessado dados bancários e e-mail do engenheiro, que só percebeu estar sendo monitorado ao ter o acesso de suas contas negado, já que a ex-mulher teria modificado as senhas.

Publicidade

A defesa de Leniel Borel pediu um novo depoimento do engenheiro à Justiça e aguarda a data para o novo procedimento. Ainda de acordo com o site R7, Monique se encontra na casa de familiares e estaria controlando o que cada um pode dizer à polícia sobre o caso. Na última terça (6), ele e Jairo criaram um site para se defenderem das acusações sobre a morte do menino.

Publicidade

Na página criada por uma equipe especializada contratada, o casal afirma que irá esclarecer todas as dúvidas e publicar atualizações sobre o caso. O casal garante que a verdade será comprovada através da Justiça. Henry, de apenas 4 anos, faleceu no último dia 7 de março sob circunstâncias misteriosas.

Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade