in

Em busca de justiça, pai de Henry tem pedido aceito pela polícia; caso entra em semana decisiva

Nas próximas semanas, mãe, pai e padrasto do menino serão ouvidos novamente.

R7 | Divulgação | Ingrid Machado

Perto de completar um mês, o caso da morte do menino Henry, de apenas 4 anos, ainda não foi concluído pela polícia. Henry faleceu sob circunstâncias misteriosas no apartamento onde morava com a mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, Jairo Souza. Leniel Borel, pai do menino, segue pedindo justiça pela morte do filho.

Publicidade

O engenheiro garante que entregou o filho saudável para a mãe após passar o fim de semana em sua companhia. Horas após, Henry foi levado sem vida pela mãe e pelo padrasto ao hospital. Monique e Jairo afirmam que o caso se trata de um acidente doméstico, o que foi colocado em dúvida por especialistas após o laudo realizado no corpo da criança.

O documento aponta que Henry sofreu diversas lesões contundentes. De acordo com o site R7, a defesa de Leniel Borel fez um pedido à Justiça para que o engenheiro fosse ouvido novamente nos próximos dias. O delegado responsável pelo caso, Henrique Damasceno, acatou o pedido do pai do menino e afirmou que também ouvirá Monique e Jairo.

Publicidade

Na última semana, foi realizada a reconstituição da morte de Henry no apartamento de Jairo. O resultado da perícia deverá sair no próximo fim de semana, quando o caso entrará em uma fase decisiva. Especialistas dirão se, de fato, é possível que a criança tenha sofrido um acidente doméstico, ou se a morte se trata de um homicídio.

Publicidade

Nos últimos dias, duas ex-namoradas do vereador Jairo Souza prestaram depoimento à polícia sobre o tempo em que se relacionaram. As mulheres relatam que Jairo possuía comportamento agressivo e narraram episódios de supostas agressões aos filhos. A defesa do vereador se pronunciou e negou todas as acusações.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade