in

Ex-morador de rua abandona vício em drogas, tira nota admirável na redação do Enem e escolhe faculdade

Alexandre Camilo passou de morador de rua e viciado em drogas para voluntário de um projeto e tem sonho de ser professor.

Reprodução: G1 - Fotomontagem por Vieira Filho

Alexandre Camilo, de 55 anos, é um carioca que decidiu se mudar para a cidade de Fortaleza (CE) em busca de novas oportunidades de vida. Ao chegar na capital cearense, Alexandre se viu viciado em drogas e foi morar na rua.

Publicidade

Depois de um tempo em Fortaleza, o homem se mudou para a cidade de Teresina (PI), onde sua vida começou a mudar. Alexandre conheceu a Pastoral do Povo da Rua de Teresina, entidade credenciada à Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Drogas do Piauí (Cendrogas-PI) e virou voluntário do projeto, quando abandonou seu vício nas drogas e resolveu dedicar-se a ajudar outras pessoas a fazerem o mesmo.

Antes de se mudar para Fortaleza, Alexandre se graduou em Biologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e fez mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela UFSCar.

Publicidade

No ano de 2020, após abandonar seu vício nas drogas e se tornar voluntário do projeto em Teresina, o homem resolveu prestar a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o que rendeu a ele um novo destino.

Publicidade

920 na redação do ENEM

Com a divulgação da nota, Alexandre se viu frente a 920 pontos na redação do exame, que vale 1000, nota atingida por apenas 28 brasileiros. Através do Enem, o homem declarou que quer cursar licenciatura em Letras Português e, posteriormente, vai ser professor. Além do excelente resultado no Enem, após o abandono de seu vício, Alexandre se casou.

Publicidade

Alexandre já é escritor

De acordo com o homem que é um exemplo de superação, seu desejo é dar continuidade ao seu trabalho como escritor, uma vez que já possui um livro de poesias publicado. “Eu sou autor de um livro de poesias, lançado em 2020, e estou com outro quase pronto. Agora eu vou ter a possibilidade de entrar novamente na universidade, melhorar o meu português. Estou correndo atrás dos meus sonhos: ter uma família e escrever”, contou Alexandre.

Publicidade
Publicidade
Publicidade