in

Homem de 69 anos morre após nebulização de hidroxicloroquina; médico não comunicou o procedimento à família

A família sequer havia sido avisada sobre o uso do tratamento no idoso e foi pega de surpresa com a morte do mesmo.

Reprodução

Um senhor de 69 anos de idade, identificado como Lourenço Pereira, morreu após ser submetido a uma nebulização de hidroxicloroquina, no Hospital de Caridade de Alecrim, no Rio Grande do Sul. De acordo com a família, Paulo Gilberto Dorneles, médico responsável pelo paciente, não solicitou autorização e sequer informou a família a cerca da realização do procedimento. 

Publicidade

O Hospital de Caridade de Alecrim preferiu não se manifestar a respeito do ocorrido, porém, em informações ao G1, afirmou que realizaria uma reunião nesta segunda-feira (5) para apurar o ocorrido.

Os familiares de Lourenço comunicaram o Ministério Público de Santo Cristo, que atende o município de Alecrim, a cerca das circunstâncias da morte do homem. Agora, cabe ao promotor Manoel Figueiredo solicitar a instauração de inquérito policial para levar o caso para o âmbito criminal.

Publicidade

O senhor Lourenço Pereira não seria o primeiro caso de morte no Rio Grande do Sul após administração de hidroxicloroquina via nebulização. Em 24 de março outros três pacientes vieram a óbito após a aplicação deste método no Hospital de Camaquã, centro do RS.

Publicidade

Neste caso, o procedimento foi realizado por ordem da médica Eliane Scherer. A profissional foi denunciada ao Conselho Regional de Medicina e ao MP pelo próprio hospital. Ambos investigam a conduta da médica.

Publicidade

Nesta segunda-feira (5), o Ministério Público informou que prossegue com a investigação das mortes e que, por enquanto, se limitará a esta informação até que venham a surgir maiores esclarecimentos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.