in

Com medidas opostas às de Bolsonaro, Exército registra mortalidade menor que a da população

A instituição registrou porcentagem de mortalidade menor que a da população em geral.

Exército Brasileiro/Reprocução

Em entrevista ao jornalista Renato Souza, do Correio Brasiliense, o general Paulo Sergio, militar responsável pelo setor de recursos humanos e de saúde do Exército, abordou as medidas de combate ao coronavírus tomadas no meio militar, instituição com cerca de 700 mil pessoas, sendo 220 mil delas ainda na ativa.

Publicidade

De acordo com o que foi detalhado pelo general, as medidas adotadas pelo exército se mostram opostas ao que vem sido defendido pelo presidente Jair Bolsonaro desde que a crise por conta da pandemia se instaurou no Brasil.

Enquanto Bolsonaro se posiciona de maneira contrária às medidas de isolamento social, e já chegou até mesmo a questionar o uso de máscaras por parte da população, entre os militares tais medidas são seguidas com rigidez.

Publicidade

O general ainda revelou preocupação da instituição com uma possível terceira onda da doença no Brasil. Segundo ele, o exército imagina que, caso se mantenha a tradição da primeira e da segunda onda, uma terceira pode ser esperada em dois meses.

Publicidade

Ainda de acordo com o general, a taxa de mortalidade registrada entre os militares é de apenas 0,13% e se mostra ínfima se comparada à observada no Brasil, que alcança 2,5%.

Publicidade

“Todas as medidas sanitárias, diretrizes emanadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), corroboradas pelas nossas diretorias de saúde, são rigorosamente cumpridas em nossos quartéis”, afirmou ao jornal. 

O general completou dizendo que os números são relativamente bons se comparados aos da população em geral, deviso a prevenção imposta na instituição, a conscientização e a compreensão, que, segundo ele, é o que acha que falta para que o Brasil melhore. “Provavelmente, o número de contaminados seria bem menor.”

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.