in

Pai de Henry Borel traz revelações sobre divergências com ex-esposa e cita ‘culpa’ com o filho: ‘me arrependo’

Henry Borel morreu na madrugada do dia 8 de março, e caso ainda segue sob apuração da Polícia Civil.

UOL

As investigações do caso de morte do menino Henry Borel, de 4 anos, estão se afunilando. Na última semana, a Polícia Civil colheu diversos depoimentos de testemunhas que vão ajudar na elucidação da ocorrência que chocou o país e vem tendo uma ampla repercussão.

Publicidade

Se mostrando abalado pela perda do filho, o engenheiro Leniel Borel, utiliza as suas redes sociais para resgatar alguns registros de momentos especiais com o menino, bem como para desabar sobre o caso, pedindo que a Justiça seja feita. 

Após publicar uma foto da criança e desabafar na legenda, Leniel foi questionado por uma internauta por que não ouviu o filho quando ele não queria retornar para a casa da mãe, onde sempre voltava triste, e não denunciou Jairinho por conta dos abraços fortes em Henry. O pai do garoto, por sua vez, disse que a ex-esposa afirmava que essa mudança de comportamento do menino era “invenção” por conta da casa nova e o processo de separação.

Publicidade

Publicidade

“A mãe falava que não saía do lado dele e que isso era invenção dele por causa da casa nova e do processo de separação. Inclusive foi colocado na psicóloga por estas reações. Caso eu fizesse a denúncia e não tivesse nada provado, ela com certeza me colocaria um processo e não deixaria mais ver meu filho…”, iniciou Leniel.

Publicidade

Na sequência, o engenheiro diz ter se arrependido por não ter ouvido Henry. “…todos os dias me arrependo de não ter ouvido meu filho e ter protegido mais ele”, desabafou o pai da vítima. 

Varreduras 

Na última segunda-feira (29), a Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou uma nova perícia no apartamento onde a criança morreu na madrugada do dia 8 de março. Conforme a determinação da Justiça, policiais e peritos possuem 30 dias para analisarem minuciosamente o imóvel.  

Nesta primeira varredura, os peritos passaram cerca de 4 anos no condomínio, situado na Barra da Tijuca, saindo já na parte da noite. 

Publicidade
Publicidade