in

Caso Henry: Polícia Civil avança na investigação e inquérito pode ter dois desfechos

Testemunhas foram ouvidas e aparelhos eletrônicos dos pais e padrasto de Henry foram apreendidos.

Reprodução Globo / Arquivo pessoal Monique Medeiros

O Brasil aguarda a resolução do caso da morte do garoto Henry Borel. Aos quatro anos, Henry morreu na madrugada do dia 8 de março, após ser levado pela mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, Jairo Souza Santos, o vereador Dr. Jairinho, ao Hospital Barra D’Or, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Publicidade

Henry chegou morto ao hospital e a mãe contou que encontrou o menino caído à beira da cama, durante a madrugada. Laudo do Instituto Médico Legal apontou que Henry morreu com laceração hepática e hemorragia interna. Ele tinha edemas pelo corpo.

Monique e Jairinho dizem que não sabem o que aconteceu com o garoto. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso e os dois foram convocados como testemunhas. Cerca de 14 pessoas prestaram depoimento à polícia, incluindo o pai do garoto, Leniel Borel, que havia passado o fim de semana com o filho.

Publicidade

Polícia Civil tem dois caminhos com inquérito

O inquérito policial é um processo administrativo conduzido pela Polícia Civil. O caso envolvendo a morte de Henry Borel está sendo investigado pela 16ª DP da Barra da Tijuca. Depois de ouvir testemunhas, quebrar o sigilo dos pais e padrasto do menino e de apreender celulares e computadores, o delegado deve finalizar o inquérito.

Publicidade

A finalização do inquérito policial terá dois caminhos para serem seguidos: um deles é encerrar o inquérito. Foi isso que aconteceu quando o jogador Neymar foi acusado de estupro por Najila Trindade, em 2019. Como não havia provas do crime, o inquérito foi encerrado.

Publicidade

O outro caminho é apresentar denúncia ao Ministério Público, caso haja provas de que a morte de Henry não foi acidental. Cabe ao MP entrar com ação na Justiça contra os denunciados em um inquérito. Outra alternativa, caso se comprove que houve homicídio, por exemplo, é encaminhar o caso para a divisão de homicídios da cidade. Nesta semana, mais novidades do caso devem ser divulgadas.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!